Micronations
Advertisement

Raphael Muniz Garcia de Souza (conhecido como Raphael Garcia, Raphael Scott-Muniz Garcia e Raphael Stone Garcia) é um micronacionalista e micropatriólogo brasileiro nascido no Rio de Janeiro em 1985. Ingressou no micronacionalismo no dia 30/03/2002, no Estado de Porto Claro (Porto Aguiar) até 06/04/2002 quando migrou para o Sacro Império de Reunião. Entre 14/04/2008 e 12/03/2009 foi cidadão da Comunidade Livre de Pasárgada e, desde 12/03/2009 é, novamente, Reunião. Mora em São Paulo, tendo já morado em Recife e estuda Relações Internacionais na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP.


Em Porto Claro[]

Início no Micronacionalismo[]

Passou pouco tempo como cidadão do Estado de Porto Claro, micronação em seus últimos dias, com pequena atividade restrita à virtualismos e lembranças do outrora glorioso passado. Filiou-se ao PSN.

Em Reunião[]

Primeira Passagem[]

Logo ao entrar filiou-se ao MicroSoc - Partido Micronacional Socialista - do qual jamais sairia enquanto Reunião (12/04/2002). Inicialmente mudou-se para o burgo de Bois Blanc (21/04/2002) do burgomesntre Polôno de Minsk, também seu companheiro de partido, na Capitania de Fournaise. Ao longo do tempo seria burgomestre de Bois Blanc por duas vezes.

Foi ainda Ministro de Participação Popular durante o primeiro mandato de Renan Saifal (03/07/2002) e Speaker na APQ, nomeado também por Saifal [1].

Vida Política[]

APQ[]

Em maio de 2002 (02/05/2002) foi indicado pelo MicroSoc para o cargo de Qualícato no lugar de Paulo Jacob, pela Coalizão MicroSoc-PSD, na Sétima Legislatura da Assembléia Popular de Qualícatos. Seria nomeado Qualícato outra vez em 07/07/2002, na Oitava Legislatura de Qualícatos, assumindo o lugar de Igor Alexandre Macedo (PIGD).

Qualícato pelo MicroSoc por 2 vezes (Ocupando a cadeira de nº 3 na primeira oportunidade [02/05/2002] e nº 5 na segunda [07/07/2002/])

Na primeira eleição assume vaga deixada por Paulo Jacob [2] enquanto na segunda é eleito como primeiro suplente em 02/07/2002[3] e assume definitivamente em 07/07/2002 [4] com édito promulgatório definitivo em 20/11/2002 [5]

Fournaise[]

Deputado Capitanial em Fournaise por 3 vezes (21/05/2002, 16/07/2002 e 24/12/2003, todas ocupando a cadeira de nº6) consecutivas (Vários períodos de ALFE inativa durante o segundo e terceiro mandatos)

Foi ainda Ministro das Comunicações, nomeado em 24 de dezembro de 2003 [6]

MicroSoc[]

Presidente do MicroSoc por mais de 3 vezes (a primeira em 03/06/2002)

Outras nomeações[]

16/07/2002 - Nomeado Secretário de Justiça de Fournaise

Breve intervalo, Nova República[]

Fundação de Nova República[]

Em 1 de janeiro de 2003 funda junto com outros membros do MicroSoc - dentre eles Michel Hullman - a Nova República[7], de vida curta porém sua saída de fato de Reunião se dá em 23 de janeiro do mesmo ano.

No curto período como Novirrepublicano, foi Senador [8] e Diplomata de 3ª Classe [9]

Passa à condição de Apátrida até voltar à Reunião num dos períodos de maior inatividade a pedido de Renan Saifal.

Em Reunião, a volta[]

Após breve ausência, retorna à Reunião, onde fica até 22/06/2006 ocupando neste período diversos cargos a nível capitania e vice-reinal e Imperiais tendo ainda desempenhado relevante papel político nas principais crises Reuniãs e tendo fundado no período a Internacional Socialista Micronacional junto com outros grandes MicroSocialistas.

Durante este período iniciou-se nos estudos micropatriológicos, tendo feito parte de importantes institutos de pesquisa e contribuído com relevante literatura além de ter levado o MicroSoc de partido periférico à maior potência Reuniã com os governos de Bernardo Alcalde e Carlos Góes, além de ter participado como artífice de diversas alianças políticas que colocaram candidatos do PacSo no poder, como por exemplo, o Premier André Giserman, em 2004, um dos maiores Premieres da história de Reunião.

Em reunião ajudou a evitar diversos golpes e teve participação marcante durante a crise da fundação da Confederação dos Reinos Unidos, em 2005, tendo sido responsável pela moção banimento - aprovada - apresentada ao ECIE contra Marcelus São Sabbas, Luiz Saboya e Felipe Santarelli.

Foi um dos responsáveis pela extinção dos poderes da micro-igreja frente ao Estado e da separação total deste da micro-igreja.


Vida Política[]

ECIE[]

Em 28/11/2003 é nomeado Conselheiro Imperial [10] e [11], ocupando a cadeira de número 4 no ECIE [12]

No ECIE teve atuação marcante na separação da micro-igreja do Estado, apresentou a proposta de banimento - aprovada - dos fundadores da CRU (Confederaçãodos Reinos Unidos) e propôs diversas modificações à Sagrada e ao CCC, tendo sido responsávle, em conjunto com Filipe Oliveira pela redação mais moderna do CCC e pela lei partidária e eleitoral usada por anos.

MicroSoc[]

Líder do MicroSoc no ECIE durante todo o ano de 2003 e novamente em 2004 [13] e 2006 (a partir de 10/12/2005);

13/06/2004 - Eleito Secretário Geral do MicroSoc [14] e [15] ; seria reeleito posteriormente;

Coordenou os trabalhos do I Congresso do Partido Micronacional Socialista (MicroSoc), de 1/08/2005 até 27/09/2005;

27/09/2005 - Eleito Secretário de Filiação do MicroSoc em seu I Congresso.

No MicroSoc ocupou todos os cargos possíveis, foi presidente por um longo período e Secretário Geral logo após. Promoveu o I congresso e após este assumiu o cargo de menor importância visando a formação de novas lideranças mas sempre tendo papel de conciliador dentro do partido e buscando alianças fora deste.

Fournaise[]

Nomeado Ministro das Comunicações de Fournaise em 24/12/2003.

Nomeado Burgomestre de São José em 15/01/2004 [16] mas recusa a nomeação [17].

Em 24/12/2003 é nomeado Deputado pela terceira vez.

Mariana[]

Entra no vice-Reino, vindo de Fournaise, em 21/06/2004;

É logo eleito Deputado, a primeira vez em 12/08/2004 [18] e [19] e novamente em 22/06/2005, 01/09/2005 e 19/12/2005. Foi, portanto, 4 vezes Deputado Mariano;

Em 15/10/2004 é nomeado Senador em Mariana a partir da criação do Senado Real, na mesma data;

Em Mariana teve atuação marcante logo após a anexação para a integração de todos os cidadãos e foi responsável por ajudar a evitar pelo menos um golpe na região.

Chancelaria[]

Em 12/01/2004 é nomeado Representante Plenipotenciário em Sloborskaia [[20], onde trabalhou arduamente pelo reconhecimento desta por parte do Sacro Império de Reunião e ficou no cargo até a 01/02/2004 quando foi demitido da Chancelaria por perseguições políticas [21]. Perseguições estas relacionadas à oposição deste ao reconhecimento e manutenção de relações com a micronação paple conhecida como CELITSC. Continuou exercendo pressão pelo reconhecimento e normalização das relações entre as duas micros mesmo sem cargo oficial.

Retornou à Chancelaria pouco tempo depois com a demissão do então chanceler e inimigo político Alberto Fioravanti que, anos depois, viria a se tornar grande aliado e amigo [22].

Foi nomeado embaixador, porém sem assumir, em diversas micronações, como Racktidan (29/09/2004), Mallorca (21/10/2004), Sofia (06/01/2005) até assumir finalmente a embaixada Reuniã na República Socialista de Bervânia (10/08/2005)

25/09/2005 - Empossado como Ministro de Primeira-Classe na Chancelaria Imperial a partir da criação de uma nova política de carreira na Chancelaria Imperial

07/10/2005 - Nomeado Embaixador Reunião na MICROCON (Conferência dos Estados Micronacionais)

08/11/2005 - Passa a Adido Diplomático na MICROCON

12/11/2005 - Nomeado Embaixador Reunião na URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) que passa a incorporar Bervânia e Sloborskaia

Em 13/03/2009 retorna à Chancelaria reuniã

Clã Stone[]

Passa a integrar o Clã Stone, em maio de 2003 [23] e serve como Dignatário do Clã em Sloborskaia durante o ano de 2004 [24]

Jornalismo[]

Escreveu dezenas de artigos e foi colunista do do Pravda (SloK), Correio de SloK (SloK), O Sol de Mariana (RE), Folha de Éfaté (Pas), Stonews (Clã Stone), Painel Econômico (Pas), Jornal dos Açores (Açores), Púlpito (RE e Pas), Micronacionalismo de Fato (Mallorca e PC), Agência Reuniana de Notícias [ARN] (Reunião), Semanário Pasárgado, dentre outros além de ter feito parte do Sonselho Editorial do Tribuna Popular (03/03/2004)

ISM[]

Internacional Socialista Micronacional[]

Em Outubro de 2003 funda, em conjunto com dezenas de micronacionalistas Socialistas e MicroSocialistas a III Internacional Socialista Micronacional, ISM e em 2004 o Fórum Socialista, a IV Internacional, efêmera

Na ISM foi membro do Comitê Central e Secretário de Formação Política.

Antes, participou da obscura II Internacional Socialista (11/06/2002), organizada por Campos Bastos

Sloborskaia[]

Em SloK foi Dignatário Stone [25], Representante Plenipotenciário de Reunião [26] e Cidadão-Honorário (28/03/2004)[27], tendo, nesta condição, feito parte de Pasárgada (cidadania reconhecida oficialmente por Pasárgada em 12/01/2005 [28]) e da URSS até 2006.

Reunião, breve período[]

Em 21/02/2008, depois de mais de um ano e meio de ausência, volta ao micronacionalismo e à Reunião mas logo migra para Pasárgada


Pasárgada[]

Em 14/04/2008 adquire cidadania Pasárgada e logo começa a participar da vida política local com a filiação à CorPas em 15/04/2008 e fixação de residência em Efate (16/04/2008).

Em 28/04/2008 recebe sua cidadania definitiva.

Em 22/02/2009 é eleito Orador por Sloborskaia para o Parlamento de Pasárgada e em 01/03/2009 assume.

Devido a problemas pessoais e políticos abre mão da cidadania PAsárgada, mantendo a honorária por Sloborskaia, em 12/03/2009


Sloborskaia[]

Rm 22 de outubro de 2008 retorna à SloK, agora como cidadão.

Em 10 de novembro de 2008 é eleito para a DUMA de SloK [29]

Reunião, segunda volta[]

Em 12/03/2009 retorna à Reunião.

Em 15/03/2009 se muda para Maurício

ECIE[]

É nomeado Conselheiro Imperial em 13/03/2009 através de Ordenação Gloriosa

MicroSoc[]

Refunda o MicroSoc em 13/03/2009

Assume, com a volta, os cargos de Secretário Geral e Presidente pro-tempore

Micropatriologia[]

Entre 2004 e 2005 fez parte das primeiras turmas do INPAM (Instituto Pasargadista de Micropatriologia, Primeira Turma de 15/07/2004), FUPEP (Fundação Pasárgada de Estudos Políticos, Primeira Turma), e FPC (Fundação Pablo Castañeda, masi conhecida como IPC - Instituto Pablo Castañeda [Marajó], Primeira Turma, 16/07/2004 [30])

É bolsista pelo PIBIC/CEPE no Programa de Iniciação Científica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP com o projeto intitulado “Micronacionalismo: Da Teoria Geral do Estado Micronacional à sua Diplomacia”, aprovado em fins de 2007 e iniciado em 2008 com entrega prevista para fevereiro de 2009 sob a orientação da Prof. Drª Marísia Margarida Santiago Buitoni.

Possui diversos artigos e um livro publicados na atividade sobre Micropatriologia.

Cargos Ocupados[]

Em Reunião[]

Públicos[]

  • Conselheiro Imperial (28/11/2003 até 2006 e novamente em 2009)
  • Qualícato por duas vezes (02/05/2002 e 07/07/2002/)
  • Ministro de Participação Popular do governo Saifal (03/07/2002)
  • Senador Mariano (15/10/2004)
  • Deputado Mariano por 4 vezes (12/08/2004,2/06/2005, 01/09/2005 e 19/12/2005)
  • Deputado Capitanial de Fournaise por 3 vezes (21/05/2002, 16/07/2002 e 24/12/2003)
  • Burgomestre de Bois Blanc por duas vezes

MicroSoc[]

  • Presidente (03/06/2002 e mais duas vezes e novamente a partir de março de 2009)
  • Secretário Geral (20-21/06/2004 e reeleito e novamente a partir de março de 2009)
  • Líder do MicroSoc no ECIE (durante 2003, 2005, 2006 e 2009)
  • Secretário de Filiação (27/09/2005)

Na ISM[]

  • Secretário de Formação Política (2003)

Em Pasárgada[]

  • Orador por Sloborskaia (22/02/2009)

Sloborskaia[]

  • Membro da DUMA (10/11/2008)

Condecorações[]

  • Agraciado com a Ordem da Cruz de Strauss pelo Imperador Claudio I (31/08/2005) pelo Sacro Império de Reunião
  • Em 10 de dezembro de 2003 recebe o titulo de Barão de Prestes-Niemeyer [31] ao qual renuncia após perseguições políticas em 29/03/2004.
  • 29/01/2005 - Indicado pelo Tribuna Popular ao seu prêmio anual de Melhor Político Micronacional (em relação ao ano de 2004)
  • 07/12/2005 - Indicado ao Grande Prêmio Pravda de Micronacionalismo nas categorias "Insígnia Vladimir Ulianov Lênin de política" (Quarto mais votado) e "Insígnia Rosa Luxemburgo de Defensor do Socialismo ou das Liberdades Democráticas" (Segundo mais votado)

Publicações[]

  • Góes, Carlos & Garcia, Raphael. Relações Intermicronacionais. Livro um: conceitos. 1ªEd 2006;
  • Garcia, Raphael. Micronacionalismo: da Teoria Geral do Estado Micronacional à sua Diplomacia (Projeto Inicial) 2007-2008;
  • _______________. Micronacionalismo: da Teoria Geral do Estado Micronacional à sua Diplomacia (Relatório Parcial) 2008;
  • _______________. Discurso Religioso Intermicronacional. O Democrata. Ano I. Número 1. 2003
  • _______________. MicroSocialismo: Breve Introdução (Parte 1). ARN. 2004
  • _______________. MicroSocialismo: Breve Introdução (Parte 2). ARN. 2004
  • _______________. Atividade excessiva? Tribuna Popular. Ano V. Número 146. 2004
  • _______________. Laicização Já!. Tribuna Popular. Ano V. Número 150. 2004
  • _______________. Política e Atividade Produtiva. Tribuna Popular. Ano V. Número 151. 2004
  • _______________. Panorama Reunião. Tribuna Popular. Ano V. Número 152. 2004
  • _______________. Instituto Latino-Americano de Micropatriologia, uma necessidade. Tribuna Popular. Ano V. Número 158. 2004
  • _______________. O Micromundo precisa de Ideologia! Tribuna Popular. Ano V. Número 161. 2004
  • _______________. Micropatriologia geral ou estudo específico?. Tribuna Popular. Ano V. Número 162. 2004
  • _______________. A Igreja Micronacional. Ou Inutilidade? Folha de Efate. Número 7. 2004
  • _______________. Estado de Emergência. Stonews. Número 23. 2004
  • _______________. Direira e Esquerda, conceitos micro? Stonews. Número 29. 2004
  • _______________. Banco Imobiliário ou porque Economia? Painel Econômico . Número 1. 2004
  • _______________. Micronacionalismo: uma "obrigação" diária? Painel Econômico. Número 3. 2004
  • _______________. O Socialismo e realidade micronacional (Carta). Jornal dos Açores. Número 25. 2004
  • _______________. Mensagismo... de novo? Ou, a visão de quem vive em uma nação mensagista. Púlpito Reunião. Número 17. 2004
  • _______________. O que é a Micronação? MicroEstado e Lista Nacional, breve introdução. Púlpito Reunião. Número 22. 2004
  • _______________. Socialismo Micronacional: Virtualismo ou Realidade? Resposta da realidade! Tribuna Popular. Ano VI. Número 163. 2005
  • _______________. O valor da ideologia de e para Slok. Correio de SloK. Número 6. 2005
  • _______________. Crítica ao "Poder Micronacional". ARN. 2005
  • _______________. Atividade. Correio de SloK. Número 7. 2005
  • _______________. A propriedade (iniciativa) privada e o MicroSocialismo. O Sol de Mariana. Número 6. 2005
  • _______________. Opinião (Carta). Impressões. Número 29. 2005
  • _______________. Critica ao "Esquerda Micronacional" - Parte 1. Micronacionalismo de Fato. Número 8. 2005
  • _______________. Critica ao "Esquerda Micronacional" - Parte 2. Micronacionalismo de Fato. Número 9. 2005
  • _______________. A Esquerda Micronacional: Respeito, Paradigmas e Diferenças. Pravda. Número 49. 2005
  • _______________. O Fim do Micronacionalismo. A Labareda. Ano III. Número 137. 2006
  • _______________. Formação Estatal e Contrato Social: Breve Introdução à Teoria Geral do Estado Micronacional. Revista de Estudos em Micropatriologia, Ano 1, Número 1. Montegline: Fundação Teobaldo Sales, 2006.
  • _______________. A falácia da Inovação ou Crise Generalizada? Semanáro Pasargado. Número 1. 2008
  • _______________. Internet e Micronacionalismo - Um estudo aprofundado, Parte 1. Semanáro Pasargado. Número 4. 2008
  • _______________. Internet e Micronacionalismo - Um estudo aprofundado, Parte 2. Semanáro Pasargado. Número 5. 2008
  • _______________. Internet e Micronacionalismo - Um estudo aprofundado, Parte 3 e Bibliografia completa. Semanáro Pasargado. Número 6. 2008
  • _______________. Fragmentação, projetos e novas idéias. Semanáro Pasargado. Número 7. 2008
  • _______________. A Convenção de Montevidéo e o Jus Cerebri Electronici. O Socioculturalista. Número (Panfleto 17). 2009
  • _______________. Reviravoltas Políticas. El Toro Brabo. Número 17. 2009
  • _______________. De Entrevistas e Verdades. Semanário Pasárgado. Número 10. 2009
  • _______________. Micronacionalismo versus MMORPGs e RPGs. Granma (Coluna Honorária). Ano I. Edição 2. 2009
  • _______________. Micronações "reais" ou que extrapolam o campo virtual. Granma (Coluna Honorária). Ano I. Edição 3. 2009
  • _______________. Movimentos Suspeitos. Mundico News. Ano I. Número 2. 2009
  • _______________. Propagandas Imperiais: Faca de dois gumes. A Labareda. Ano V. Número 165. 2009
  • _______________. Integração na Imigração. A Labareda. Ano V. Número 166. 2009
  • _______________. Mais um capítulo: Esquerda versus Microigreja. A Labareda. Ano V. Número 167. 2009


Publicações a fundo[]

Publicações Micropatriológicas[]

  • Góes, Carlos & Garcia, Raphael. Relações Intermicronacionais. Livro um: conceitos. 1ªEd 2006;
  • Garcia, Raphael. Micronacionalismo: da Teoria Geral do Estado Micronacional à sua Diplomacia (Projeto Inicial) 2007-2008;
  • _______________. Micronacionalismo: da Teoria Geral do Estado Micronacional à sua Diplomacia (Relatório Parcial) 2008;
  • _______________. MicroSocialismo: Breve Introdução (Parte 1). ARN. 2004
  • _______________. MicroSocialismo: Breve Introdução (Parte 2). ARN. 2004
  • _______________. Política e Atividade Produtiva. Tribuna Popular. Ano V. Número 151. 2004
  • _______________. Instituto Latino-Americano de Micropatriologia, uma necessidade. Tribuna Popular. Ano V. Número 158. 2004
  • _______________. Micropatriologia geral ou estudo específico?. Tribuna Popular. Ano V. Número 162. 2004
  • _______________. Direira e Esquerda, conceitos micro? Stonews. Número 29. 2004
  • _______________. Banco Imobiliário ou porque Economia? Painel Econômico . Número 1. 2004
  • _______________. Micronacionalismo: uma "obrigação" diária? Painel Econômico. Número 3. 2004
  • _______________. O Socialismo e realidade micronacional (Carta). Jornal dos Açores. Número 25. 2004
  • _______________. Mensagismo... de novo? Ou, a visão de quem vive em uma nação mensagista. Púlpito Reunião. Número 17. 2004
  • _______________. O que é a Micronação? MicroEstado e Lista Nacional, breve introdução. Púlpito Reunião. Número 22. 2004
  • _______________. Socialismo Micronacional: Virtualismo ou Realidade? Resposta da realidade! Tribuna Popular. Ano VI. Número 163. 2005
  • _______________. Crítica ao "Poder Micronacional". ARN. 2005
  • _______________. Atividade. Correio de SloK. Número 7. 2005
  • _______________. A propriedade (iniciativa) privada e o MicroSocialismo. O Sol de Mariana. Número 6. 2005
  • _______________. Critica ao "Esquerda Micronacional" - Parte 1. Micronacionalismo de Fato. Número 8. 2005
  • _______________. Critica ao "Esquerda Micronacional" - Parte 2. Micronacionalismo de Fato. Número 9. 2005
  • _______________. A Esquerda Micronacional: Respeito, Paradigmas e Diferenças. Pravda. Número 49. 2005
  • _______________. O Fim do Micronacionalismo. A Labareda. Ano III. Número 137. 2006
  • _______________. Formação Estatal e Contrato Social: Breve Introdução à Teoria Geral do Estado Micronacional. Revista de Estudos em Micropatriologia, Ano 1, Número 1. Montegline: Fundação Teobaldo Sales, 2006.
  • _______________. A falácia da Inovação ou Crise Generalizada? Semanáro Pasargado. Número 1. 2008
  • _______________. Internet e Micronacionalismo - Um estudo aprofundado, Parte 1. Semanáro Pasargado. Número 4. 2008
  • _______________. Internet e Micronacionalismo - Um estudo aprofundado, Parte 2. Semanáro Pasargado. Número 5. 2008
  • _______________. Internet e Micronacionalismo - Um estudo aprofundado, Parte 3 e Bibliografia completa. Semanáro Pasargado. Número 6. 2008
  • _______________. A Convenção de Montevidéo e o Jus Cerebri Electronici. O Socioculturalista. Número (P
  • _______________. Micronacionalismo versus MMORPGs e RPGs. Granma (Coluna Honorária). Ano I. Edição 2. 2009
  • _______________. Micronações "reais" ou que extrapolam o campo virtual - Parte 1. Granma (Coluna Honorária). Ano I. Edição 3. 2009
  • _______________. Micronações "reais" ou que extrapolam o campo virtual - Parte 2. Granma (Coluna Honorária). Ano I. Edição 4. 2009

Publicações Não Micropatriológicas[]

  • _______________. Discurso Religioso Intermicronacional. O Democrata. Ano I. Número 1. 2003
  • _______________. Atividade excessiva? Tribuna Popular. Ano V. Número 146. 2004
  • _______________. Laicização Já!. Tribuna Popular. Ano V. Número 150. 2004
  • _______________. Panorama Reunião. Tribuna Popular. Ano V. Número 152. 2004
  • _______________. O Micromundo precisa de Ideologia! Tribuna Popular. Ano V. Número 161. 2004
  • _______________. A Igreja Micronacional. Ou Inutilidade? Folha de Efate. Número 7. 2004
  • _______________. Estado de Emergência. Stonews. Número 23. 2004
  • _______________. O valor da ideologia de e para Slok. Correio de SloK. Número 6. 2005
  • _______________. Opinião (Carta). Impressões. Número 29. 2005
  • _______________. Fragmentação, projetos e novas idéias. Semanáro Pasargado. Número 7. 2008
  • _______________. Reviravoltas Políticas. El Toro Brabo. Número 17. 2009
  • _______________. De Entrevistas e Verdades. Semanário Pasárgado. Número 10. 2009
  • _______________. Movimentos Suspeitos. Mundico News. Ano I. Número 2. 2009
  • _______________. Propagandas Imperiais: Faca de dois gumes. A Labareda. Ano V. Número 165. 2009
  • _______________. Integração na Imigração. A Labareda. Ano V. Número 166. 2009
  • _______________. Mais um capítulo: Esquerda versus Microigreja. A Labareda. Ano V. Número 167. 2009


Entrevistas[]

  • Entrevista dada ao Arenas Micronacionais. Ano I. Número 2. 2009

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2141767599795679

Advertisement